Aperte “Enter” para pesquisar

Artigos

Vacinas indispensáveis na gravidez e no pós-parto

Atualizado em: 21/12/2017 às 15h40

bebê abraçando mãe grávida

A importância da futura mamãe estar imunizada nestes momentos, para garantir a sua saúde e a do seu filho

 

Qual mulher não se sente radiante com a descoberta da gravidez? A partir desse momento elas mudam completamente a rotina, o humor, a visão de mundo e seus dias passam a serem baseados em exames e visitas médicas. Afinal, a sua maior preocupação é proteger o bebê e garantir o desenvolvimento saudável dele, o que acarreta nas restrições a certos medicamentos, alimentos e bebidas.

 

No entanto, além desses cuidados, é extremamente importante garantir a imunidade através de vacinas indispensáveis na gravidez. Elas transferem os anticorpos para o feto, por meio da placenta, que continua imunizado após o nascimento graças à amamentação.

Por que as vacinas são indispensáveis?

 

Segundo Chiara Dantas, enfermeira e chefe da Seção de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), é de extrema importância a futura mamãe imunizar-se durante nestes períodos.

 

“A proteção por meio da vacina se faz necessária e é importante em todas as fases da vida, obedecendo à indicação clínica e cada faixa etária a qual ela for indicada. Sobretudo, ainda existem algumas vacinas na gravidez que devem ser tomadas, que são importantes para a saúde da mamãe e do bebê, pois anticorpos passam de mãe para filho por meio da placenta e posteriormente, através da amamentação”, destacou Chiara.

Vacina tríplice bacteriana

 

Existem dois tipos, a vacina: a dTpa – tríplice bacteriana acelular do tipo adulto – que previne contra a difteria, tétano e coqueluche e a dT – dupla do tipo adulto – que protege apenas de difteria e tétano e são recomendadas entre a 27ª e 36ª semana de gestação.

 

Acima de tudo, a vacina tríplice bacteriana é super importante para o bebê por conta do risco do tétano neonatal, que pode ocorrer pelo uso de instrumentos contaminados durante o nascimento. Caso a gestante nunca tenha recebido essa vacina, é recomendado que ela tome os dois tipos com intervalo de 60 dias e acrescentar a 3ª dose.

Vacina contra a hepatite B

 

Esta é uma vacina recomendada antes mesmo da gestação. A hepatite B é uma infecção de fácil transmissão e a criança que for infectada podem apresentar câncer e cirrose hepática quando adulta.

 

Por este motivo – quando não imunizada anteriormente – a vacina contra a hepatite B deve ser administrada logo no início da gestação. “Mulheres em dia com a vacinação antitetânica precisam de um reforço com a dTpa a partir da 20ª semana de gestação”, orientou a Chiara Dantas.

Vacina contra a influenza

 

Mais conhecida como gripe, é uma das vacinas essenciais, já que ela protege a gestante de quadros graves de gripe, como a pneumonia. Um detalhe a ser ressaltado é que a gripe pode ser mais grave durante o período gestacional.

 

Ela pode ser tomada em qualquer momento da gravidez e como são compostos inativos, não oferecem risco para o filho e nem para a mãe.

 

Assim, como há vacinas que são remendadas, também há as que não são indicadas para o período da gestação, como tríplice viral – que imuniza contra sarampo, rubéola e caxumba, varicela, febre amarela e HPV.

 

“Essas vacinas, que não devem ser aplicadas na gravidez, são compostas por vírus vivos atenuados representando risco potencial para a saúde do bebê. Elas podem causar má formação, ocasionar doenças cardíacas, surdez, cegueira, entre outros. Daí a importância de sempre conversar com um profissional de saúde nos serviços da saúde”, esclareceu Chiara Dantas.

 

Fonte: Prefeitura de João Pessoa

Vacinas indispensáveis na gravidez, segundo Newton Bellesi

 

A vacinação durante a gestação protege a mulher e o bebê em suas primeiras semanas de vida. As demais pessoas em contato próximo com a gestante e com o bebê vindouro também devem ser vacinadas, para proteção de todo o grupo familiar. Indivíduo imunizado não hospeda e nem transmite agentes infecciosos correspondentes.*

 

Os benefícios da vacinação são usufruídos por toda a vida, raramente sendo recomendadas vacinações de reforço. Várias vacinas licenciadas pela ANVISA e recomendadas por associações médico-científicas do Brasil são oferecidas pelo SUS; todas são disponibilizadas por clínicas privadas especializadas em vacinações, como a CLIMEP.

 

Newton Bellesi, médico infectologista e imunoalergologista, CRM-PA 765.

 


* Vacinação recomendada a qualquer tempo, para proteção pessoal, da gestante, do bebê vindouro e de outros membros da família e da comunidade.

 

banner com chamada para vacinação

 

Leia também:
Vacinação anual contra a gripe: por que é importante?
Vírus HPV atinge mais da metade dos jovens entre 16 e 25 anos
Inverno Amazônico, vacine-se novamente contra a Gripe

Compartilhar
FacebookTwitterGoogle+EmailWhatsApp

Ligamos para Você





Atendimento por Email






Consulte Preços





Assine nossa Newsletter




Receber Mais Informações