Aperte “Enter” para pesquisar

Artigos

Inverno Amazônico, vacine-se novamente contra a Gripe

Atualizado em: 01/02/2018 às 14h35

 

Inverno Amazônico, vacine-se novamente contra a Gripe

 

Enquanto as outras regiões do Brasil estão celebrando o verão, o Norte do vive o chamado “Inverno Amazônico”, por conta da grande incidência de chuvas entre os meses de dezembro e maio. E com a chegada desse período chuvoso, aumenta a ocorrência de algumas doenças, principalmente as doenças respiratórias.

 

Pesando nisso, listamos alguns motivos para você se vacinar contra a Gripe no período chuvoso e manter-se saudável por um longo tempo. Vamos a eles.

A gripe é uma doença infecciosa

 

A gripe é uma doença contagiosa, infecciosa e de origem viral. Ela é provocada pelos vírus Influenza A, Influenza B e Influenza C, e tem como sintomas mais comuns a febre, as dores pelo corpo e a tosse.

 

O Influenza A é o que causa maiores complicações e responsável pela maior parte dos casos sintomáticos nas pessoas e pela origem das principais epidemias. Ele é altamente propenso a mutações, gerando uma nova cepa praticamente todos os anos entre a população, aumento no número de casos de gripe. Por isso, é necessário vacinar-se novamente, pois o vírus que circula neste período de chuva pode já não ser o mesmo do período anterior.

O Inverno Amazônico aumenta o risco de transmissão

 

As pessoas costumam se aglomeram por conta do frio e para evitar se molharem. Isso favorece a transmissão de qualquer tipo de doença respiratória, por conta dessas concentrações.

 

Esta é uma das principais preocupações da Secretaria Municipal de Saúde – SESMA. Só no 1º semestre de 2017 foram registrados 19 casos em Belém.  47% positivos para Influenza A (H3N2) e 53% positivos para Influenza B.

A gripe pode matar

 

Como já citamos, a Gripe é uma doença respiratória. Ela decorre de uma infecção viral, que pode causar danos maiores ao sistema respiratório e até levar à morte. Principalmente nos considerados grupo de alto risco para as complicações da infecção viral, que são:

 

– Crianças menores de 5 anos de idade;
– Adultos acima de 60 anos;
– Gestantes;
– Portadores de doenças crônicas não transmissíveis.

 

A vacinação é bem mais em conta

 

Prevenir é melhor que remediar e, para isso, há várias medidas preventivas que podem ser tomadas contra a gripe:

 

– Identificar pessoas infectadas para que elas não tenham contato com pessoas saudáveis;
– Higienizar sempre que possível as mãos, lavando-as com água e sabão;
– Utilizar álcool gel em situações de maior risco;
– Manter os ambientes ventilados e
– Consumir mais água que o habitual.

 

Entretanto, mesmo com todos esses cuidados, sabemos que só a vacinação garante um percentual maior de proteção. Alem disso, caso seja infectado, os gastos com analgésicos, antitérmicos, descongestionantes, anti-inflamatórios etc., são muito superiores ao valor gasto com uma vacina.

A vacinação é mais eficaz

 

A vacina é a principal forma de se proteger contra a Gripe. Ela é feita com o vírus inativado e, ao contrário do que muitos acham, a vacina não causa gripe. Muito pelo contrário, segundo estudos, a vacinação pode reduzir entre 32% e 45% o número de hospitalizações por pneumonias, impactando em 39% a 75% na diminuição mortalidade por complicações da influenza e, na maiorias dos casos, suas reações são leves, apenas com dor e sensibilidade no local da aplicação.

 

A vacina que confere maior proteção é a quadrivalente, disponível apenas em clínicas particulares especializada em vacinação, diferente do SUS, que oferece apenas a trivalente.

A vacinação dura até 6 meses

 

A vacinação contra a gripe protege por no máximo seis meses. Portanto as pessoas que receberam a vacinação do primeiro semestre – que protege durante a estação da gripe do Sul, Sudeste e Centro-Oeste – não estão mais protegidas para a estação da gripe do Norte durante este “Inverno Amazônico”. Elas levam de 10 e 20 dias para poderem fazer efeito e iniciar a proteção. O que significa que quanto mais cedo o paciente se vacinar, mas cedo ele estará protegido.

 

Portanto, é fundamental que as pessoas vacinem-se neste momento para estarem protegidas durante o “Inverno Amazônico”, já que o organismo leva, em média, de duas a três semanas para criar os anticorpos que geram proteção, e é justamente nesta época que os diversos vírus da influenza começam a circular com maior intensidade. Para esclarecimento a respeito da vacina, entre em contato conosco.

 

Compartilhar
FacebookTwitterGoogle+EmailWhatsApp

Ligamos para Você








Atendimento por Whatsapp









Atendimento por Email









Consulte Preços








Assine nossa Newsletter




Receber Mais Informações