Aperte “Enter” para pesquisar

Artigos

PREDADOR SURPREENDE CAÇA DESCUIDADA

Atualizado em: 03/09/2018 às 14h54

03set18, NBellesi, CLIMEP – O mesmo acontece com o ser humano. Na selva de pedra, o descuidado é assaltado, é atropelado, pode ficar doente e até perder a vida; quando atento evita o assaltante, o atropelamento e também a doença e a morte.

 

Na verdade, entre as 10 principais causas de sofrimento e morte em todo o Mundo e em todas as fases da vida, nove são doenças.

 

Dez principais causas de morte no Mundo
1.        Acidente vascular cardíaco (infarto)

2.        Acidente vascular cerebral (AVC)

3.        Infecções do trata respiratório inferior (pneumonias)

4.        Doença pulmonar obstrutiva crônica

5.        Tuberculose

6.        Diarreias

7.        Diabetes mellitus

8.        Complicações de parto prematuro

9.        Cirrose de fígado

10.     Acidentes de trânsito

https://www.news.med.br/p/saude/222530/oms+divulga+as+dez+principais+causas+de+morte+no+mundo.htm

 

E no passado a contribuição das doenças para a interrupção precoce da vida era ainda mais expressiva. A maior tragédia mundial conhecida – maior número de mortes / espaço de tempo – foi uma pandemia de gripe que ocorreu em 1918 quando entre 50 milhões e 100 milhões de pessoas faleceram no período de pouco mais de um ano. Em número atuais essa mortandade ficaria entre 200 milhões e 400 milhões de mortes.

 

E curiosamente, as três doenças que mais provocaram óbitos no século XX, especialmente nos 75 primeiros anos, foram controladas através de vacinações, uma delas, a varíola, foi erradicada da face da terra; a segunda, o sarampo foi praticamente erradicado das Américas até recentemente.

 

Principais causa de morte no xéculo XX
InfecçãoNúmero de óbitos (milhões)
Varíola

Sarampo

Gripe

300

200

100

07nov15, Ricardo Mioto, Folha de São Paulo.

E aí entra o DESCUIDO. Os principais ‘predadores’ da humanidade continuam sendo doenças, muitas delas imunopreveníveis (preveníveis por vacinações). E esses predadores estão por aí, circulando minimamente em vários países, incluindo o Brasil, graças às vacinações. Mas a natureza desses predadores exige que se instalem (infectem) humanos para persistir Humanos vacinados e imunizados não são infectados, mas humanos descuidados – não vacinados – podem ser infectados, sofrer e pagar até com a própria vida. E pior: podem disseminar o agente de doença comprometendo dezenas, centenas, milhares de pessoas como está acontecendo com o sarampo, agora, no Brasil.

 

O sucesso da vacinação – reduzindo e até eliminando doenças que se constituíam as principais causa de doença e morte no Brasil até recentemente – agora volta-se contra si própria. Muitas pessoas estão deixando de se vacinar porque não percebem o risco pessoal, para seus queridos, para o País e para a humanidade.

 

Nada é pior que uma infecção descontrolada. Nada, nem guerras, nem violência urbana… É preciso vacinar pelo menos 95% da população para que agentes de doenças deixem de circular.

 

Sobretudo graças às vacinações dos últimos 100 anos a expectativa de vida, de uma criança ao nascer, duplicou: 35 anos em 1900 para >70 anos em 2000.

 

Entre todos os cuidados humanos as vacinações estão entre os mais seguros, econômicos e fáceis de serem usados. Uma injeçãozinha das mais confortáveis pode evitar desgraças quase inimagináveis.

 

Vacina-se para benefício próprio! – Vacine-se por seus queridos! – Vacine-se por todos! 

 

Newton Bellesi, médico infectologista e imunoalergologista, CRM-PA 765, RQE 2483 e RQE 5110, nbellesi@climep.com.br.

 

Compartilhar
FacebookTwitterGoogle+EmailWhatsApp

Ligamos para Você








Atendimento por Whatsapp









Atendimento por Email









Consulte Preços








Assine nossa Newsletter




Receber Mais Informações