Aperte “Enter” para pesquisar

Artigos

Pesquisa Mostra Alta Incidência De HPV Em Homens

Atualizado em: 01/02/2018 às 17h17

Homens apresentam infecções pelo papilomavírus humano (HPV) na região genital com frequências elevadas e constantes ao longo da vida e os homens brasileiros têm mais infecções por HPV do que mexicanos e norte-americanos.

A PESQUISA

Esses são alguns dos achados do estudo HIM (Human Papillomavirus Infection in Men) publicados pela primeira vez na revista científica da Sociedade Brasileira de Infectologia, the Brazilian Journal of Infectious Diseases, edição de abril/2017, sobre como o vírus atua no organismo masculino.

A pesquisa contou com mais de quatro mil voluntários sendo 1.400 brasileiros.

Por esta razão, a Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) do Ministério da Saúde reforça a importância da vacinação contra o HPV em meninos. A vacina é segura e é a única forma efetiva de proteger os homens das infecções causadas pelo papilomavírus humano.

Parte de estudo maior da pesquisa HIM, com homens de 18 a 73 anos de idade dos Estados Unidos, Brasil e México, aponta que 72% dos brasileiros apresentam HPV na região genital, quando comparados a 62% dos mexicanos e 61% dos americanos.

QUAIS OS TIPOS DE HPV?

Os tipos de HPV mais frequentemente encontrados nos homens foram o HPV 6 (associado à maioria das verrugas genitais) e o HPV 16 (associado a uma proporção significativa de tumores de ânus e suas lesões precursoras).

É importante notar que o Brasil foi o país que registrou as maiores taxas de infecção por HPVs de baixo e alto risco oncogênico.

Segundo Luisa Lina Villa, pesquisadora líder do estudo no Brasil, “o HIM é a maior investigação sobre a história natural das infecções por HPV já realizada e legitima a decisão do Brasil de expandir, a partir deste ano, a vacina contra o HPV também para os meninos de 12 e 14 anos, com o objetivo de preveni-los das infecções e doenças causadas pelos tipos 6, 11, 16 e 18.

Em torno de 5% dos homens que têm infecções por HPV desenvolvem verrugas genitais.

Isso ocorre em todas as faixas etárias, sendo mais frequente nos mais jovens (18 a 30 anos de idade). Em geral, esse grupo tem múltiplas parceiras (ou parceiros) sexuais, e não está em relacionamentos estáveis.

O estudo também aponta que a incidência do câncer de pênis é três vezes maior em homens brasileiros do que norte-americanos, por exemplo.

Há diversos fatores para que isso aconteça, estando entre eles as elevadas taxas de infecção por HPV, hábitos sexuais, a falta de circuncisão, higiene e, principalmente, o acesso restrito à saúde pública”, esclarece Luisa Villa.

O QUE FALA O ESPECIALISTA?

De acordo com o urologista Roberto José Carvalho da Silva, integrante do grupo de pesquisadores brasileiros, ”muito se estudou sobre o HPV nas mulheres e pouco se sabia do impacto do vírus na saúde masculina.

Com o estudo, ampliamos nosso conhecimento sobre fatores de risco, aquisição, persistência e indução do HPV para verrugas genitais e lesões pré-cancerosas em homens.

A partir de agora, será possível afirmar o que já sabíamos na prática e embasar cientificamente a legitimidade de oferecer também aos homens brasileiros a vacinação gratuita contra o HPV”.

“Entretanto, para alcançar a redução das infecções e dos tumores causados pelos tipos mais frequentes de HPV, temos que nos empenhar para alcançar elevadas taxas de cobertura”, diz Luisa Villa.

De fato, esse é o grande desafio que a maioria dos países que não adotaram a vacinação em base escolar está enfrentando, já que são poucos aqueles que conseguem vacinar mais da metade de sua população-alvo, como Austrália, por exemplo, onde já se registra a erradicação de verrugas genitais entre adolescentes e mulheres jovens vacinadas.

A VACINAÇÃO

Em 2013, a Austrália foi o primeiro país a incluir os meninos na vacinação contra o HPV, mesmo obtendo altas taxas de cobertura na vacinação de meninas.

Cada vez mais países estão adotando uma política para vacinar meninos e meninas contra o HPV em seus programas nacionais de imunização como EUA, Israel, Panamá e Áustria.

Outros países introduziram a vacinação em âmbito subnacional, como México, Canadá e Itália.

DADOS

A vacinação do menino protege o futuro adolescente e adulto – a duração estimada do efeito da vacinação é de pelo menos 20 anos – e também sua namorada e esposa.

A vacinação é indicada para crianças a partir dos 9 anos de idade, adolescentes e adultos de ambos os sexos.

A vacinação custa muito menos que o seguro, ou a gasolina do carro por um ano.

Para mais informações entre em contato conosco através do 3181-1644.

Compartilhar
FacebookTwitterGoogle+EmailWhatsApp

Ligamos para Você








Atendimento por Whatsapp









Atendimento por Email









Consulte Preços








Assine nossa Newsletter




Receber Mais Informações