Aperte “Enter” para pesquisar

Artigos

Pais Devem Formar Hábitos Alimentares No Primeiro Ano

Atualizado em: 03/11/2017 às 19h50

A difícil missão de fazer com que crianças comam frutas, verduras e legumes pode ser menos complicada se algumas recomendações forem seguidas. Como o consumo de frutas e hortaliças é fundamental para o desenvolvimento sadio de crianças, a professora do curso de Nutrição da Faculdade Maurício de Nassau, Isabelle de Oliveira, faz várias recomendações aos pais. Segundo a nutricionista, as recomendações variam conforme a idade das crianças. A introdução de frutas e hortaliças deve começar já no primeiro ano de vida: a partir do sexto mês, é o momento ideal para introduzir os alimentos. Isabelle orienta que os pais façam as chamadas papinhas doces com frutas amassadas e as salgadas com verduras e legumes amassados. Para diminuir a probabilidade de rejeição, ela explica que os alimentos devem ser introduzidos individualmente e não em misturas de frutas ou legumes, que podem alterar o sabor dos alimentos. “O que acontece muitas vezes é que vai ter a rejeição para determinados tipos de frutas e hortaliças. É necessário sempre estar repetindo a ingestão e não deixando de lado aquele alimento que será fundamental para a criança”, afirmou.

 

As papinhas devem ser intercaladas com a amamentação. A recomendação é que os pequenos comecem com dois tipos de papinhas de frutas e uma salgada, intercaladas por dia. Entre nove e dez meses, deve-se modificar a quantidade das papinhas, sendo a maioria de papinhas de legumes e verduras e uma ou duas papinhas de frutas. A mudança é necessária para que a criança se acostume mais com as hortaliças.

 

Os pais não devem dar alimentos industrializados antes de o bebê completar um ano de vida. “Tem alguns alimentos industrializados que não devem ser apresentados para as crianças antes de um ano de vida. Isso acaba prejudicando a alimentação. Alguns pais colocam iogurte e biscoitos que são alimentos industrializados e a criança não está preparada para receber isso”, advertiu. A médio e longo prazo, as crianças podem desenvolver alergias e ter complicações intestinais.

 

Quando chega aos dois ou três anos a criança deve passar a se alimentar com as mesmas refeições dos pais, completas, com todos os tipos de grupos alimentares, evitando gorduras e frituras. Quanto mais velhas, mais difícil se torna fazer com que crianças comam frutas e legumes. Esta está sendo a missão da secretária executiva Lais Torres, que tenta fazer com que seu filho Ricardo Augusto Torres, de 10 anos, se alimente com produtos mais saudáveis.

 

O menino prefere guloseimas, como biscoitos, doces e bolos, mas a mãe tenta impor limites e colocar frutas, sanduíches e sucos na lancheira do filho. “Até três ou quatro anos ele só comia aquilo que a gente colocava pra ele, não tive problema. Depois que ele começou a conviver com as outras crianças, no colégio, começou a experimentar outras coisas e passou a optar pelas guloseimas, doces, bolo, biscoito. Em casa procuramos ter uma alimentação mais equilibrada, pra poder liberar ele nos aniversários e nas festas. O lanche da escola vai preparado de casa”, acrescentou.

 

Com as crianças mais velhas o trabalho é um pouco mais trabalhoso, mas não impossível. Como provavelmente a criança já provou doces e produtos industrializados, como refrigerantes e sucos artificiais, os responsáveis devem tentar despertar o interesse da criança através do olhar. Um exemplo é utilizar as cores da aprendizagem para falar de alimentação. Mostrar que um prato colorido é divertido e saudável. Já para as crianças mais velhas, os pais devem organizar o lanche em casa sempre optando por sucos naturais, frutas, sanduíches naturais e bolachas sem recheio. Uma dica é não repetir os alimentos cotidianamente.

 

Fonte: O Liberal

Compartilhar
FacebookTwitterGoogle+EmailWhatsApp

Ligamos para Você








Atendimento por Whatsapp









Atendimento por Email









Consulte Preços








Assine nossa Newsletter




Receber Mais Informações