Aperte “Enter” para pesquisar

Artigos

O VALOR DA VACINAÇÃO DE IDOSOS

Atualizado em: 03/07/2018 às 09h48

O aumento da duração da vida vem sendo observado, mais intensamente, desde a segunda metade do século passado. Embora motivo de entusiasmo, a vida mais longa entre idosos está associada a um aumento no risco e na gravidade de doenças infecciosas. As vacinações constituem-se importante recurso para reduzir sofrimento, hospitalização, perda de autonomia e morte em idosos.

 

02jul18, NBellesi, CLIMEP – A expectativa de vida mais longa e a diminuição das taxas de fertilidade aumentam a proporção de pessoas idosas, que está crescendo continuamente no Brasil. Embora motivo de entusiasmo a vida mais longa entre idosos está associada a um aumento no risco e na gravidade de doenças infecciosas.

 

Doenças infecciosas são mais difíceis de diagnosticar e tratar em idosos, especialmente com comorbidades e 60% dos idosos apresentam duas ou mais enfermidades, como hipertensão arterial e diabetes, por exemplo. Doenças infecciosas aumentam o risco de hospitalização, de perda de autonomia e de morte em idosos.

 

Vacinações efetivas estão disponíveis para doenças infecciosas como, por exemplo, influenza, doenças pneumocócicas, herpes zoster, difteria, tétano, coqueluche, entre outras indicadas para idosos sob riscos particulares. A efetividade dessas vacinas foi demonstrada em termos de redução das taxas de hospitalização, incapacidade, dependência e morte. A prevenção de doenças em idosos também resulta em economia nos custos com saúde e sociais.

 

Apesar de a maioria das vacinações seguras e efetivas desenvolvidas em todo o Mundo estarem licenciadas pela ANVISA, as doenças imunopreveníveis continuam afetando anualmente milhões de brasileiros, particularmente idosos, os mais acometidos pela carga de doenças.

 

A CLIMEP oferece atualização completa da vacinação do idoso num período de até seis meses, com benefícios para toda a vida, mediante pequeno investimento (semelhante ao custo do seguro, ou da gasolina do carro durante um ano). A vacinação dos conviventes do idoso também devem ser atualizadas, para benefício pessoal e das demais pessoas do grupo familiar.

 

Newton Bellesi, médico infectologista e imunoalergologista, CRM-PA 765, RQE 2483 e RQE 5110, nbellesi@climep.com.br.

Compartilhar
FacebookTwitterGoogle+EmailWhatsApp

Ligamos para Você








Atendimento por Whatsapp









Atendimento por Email









Consulte Preços








Assine nossa Newsletter




Receber Mais Informações