Aperte “Enter” para pesquisar

Artigos

Nova Vacina Detém O Avanço Da Meningite B

Atualizado em: 02/11/2017 às 14h46

 

O derradeiro obstáculo para o Brasil se livrar das meningites meningocócicas finalmente poderá ser vencido. Liberada em janeiro pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a vacina meningocócica B já está disponível no país em clínicas particulares, incluindo a nossa Climep aqui no Pará.

 

Embora 80% das ocorrências de meningite no Brasil sejam causadas pelos meningococos do soro grupo C, os do grupo B já são responsáveis por 60% dos casos entre crianças menores de 1 ano, por 100% dos casos nas que têm entre 12 e 23 meses e 58% das ocorrências na faixa de 2 a 5 anos. Os dados são da Sociedade Brasileira de Imunologia – SBIm.

 

Embora a vacinação meningocócica B esteja indicada para pessoas de ambos os sexos a partir de dois meses de idade até 50 anos, a SBIm, pelas razões acima, recomenda especial atenção às crianças menores de cinco anos. O ideal é que a vacinação seja oferecida para toda a família, porque a transmissão, por meio de gotículas e secreções das vias respiratórias, geralmente ocorre a partir de indivíduos saudáveis, que não apresentam sinais, mas estão infectados, os chamados portadores assintomáticos.

 

A meningite consiste na inflamação das meninges, membranas que revestem o cérebro e a medula. Os sintomas iniciais incluem febre alta. dor de cabeça intensa, náusea, vômito e pescoço rígido. Embora vírus e fungos, ou mesmo traumas, também causem meningites, as infeções bacterianas, particularmente as causadas por meningococos, pneumococos e hemófilos B, são as mais temidas porque evoluem muito rápido.

 

A meningite bacteriana pode levar a óbito entre 24 e 48 horas após o aparecimento dos sintomas. Cerca de 40% das pessoas infectadas com o meningococo B morrem ou sobrevivem com graves sequelas, como surdez, cegueira, distúrbio de linguagem. retardo mental e anormalidade motora. Daí a importância vital da vacinação.

 

Graças a este cuidado simples, a meningite meningocócica C, por exemplo, já foi reduzida em 70% no Brasil, desde que a vacinação foi iniciada em 2010. Agora, precisamos centrar esforços contra o meningococo B.

 

A nova vacina meningocócica B tem eficácia bastante elevada, de 81%, atestada pelo instituto Adolfo Lutz. Ela pode ser feita juntamente com a vacinação meningocócica CouACYW135.

 

Imagem: Dr. Newton Bellesi é Infectologista e imunoalergologista. diretor da Clinica de Medicina Preventina do Pará – CLIMEP

Matéria veiculada no jornal Diário do Pará, no dia 14/06/2015, no caderno Negócios, página E2.

Compartilhar
FacebookTwitterGoogle+EmailWhatsApp

Ligamos para Você








Atendimento por Whatsapp









Atendimento por Email









Consulte Preços








Assine nossa Newsletter




Receber Mais Informações