Aperte “Enter” para pesquisar

Artigos

MENINGITES – O QUE SÃO?

Atualizado em: 24/05/2018 às 15h10

A propósito dos casos de meningite noticiados. Meningites e sepse frequentemente ocorrem conjuntamente. Quase 50% dos pacientes com meningite e infecções bacterianas generalizadas evolui com sequelas (incapacidades), ou óbito. Vacinações para a maioria dessas doenças estão licenciadas no Brasil e disponíveis para evitar sofrimento e perdas, inclusive da existência, beneficiando por longos períodos – até por toda a vida – pessoas que as recebem. 

 

23mai18, NBellesi, CLIMEP – Meningites constituem-se doença inflamatória das meninges, membranas que envolvem o sistema nervoso central (encéfalo e medula espinhal). Meningites podem ser causadas por vírus, bactérias e outros agentes, sendo as de origem bacteriana as que mais frequentemente causam doença grave, incapacidades e óbito.

 

A maioria das meningites bacterianas é causada por vários tipos de meningococos e por pneumococos, bactérias que colonizam a mucosa nasal e da garganta de muitas pessoas, em geral não causando doença. São os portadores assintomáticos. Portadores assintomáticos podem estar em qualquer lugar, passando desapercebidos, pois não apresentam sinal da infecção, que somente é identificável através de exames laboratoriais.

 

O portador assintomático dissemina bactérias entre pessoas de seu convívio, não causando mal para a maioria, apenas para uma ou outra. Quando bactérias do nariz e da garganta se disseminam para outras partes do organismo podem causar várias doenças como sepse (infecção generalizada) e meningite (infecção das meninges), ambas graves e de evolução rápida, podendo ocasionar incapacidades e óbito em um, dois, poucos dias, mesmo quando diagnosticadas e tratadas corretamente.

 

A recomendação do Ministério da Saúde é que contactantes de primeiro grau (especialmente conviventes do mesmo domicílio) recebam medicação antibiótica para neutralizar a bactéria que, eventualmente, esteja comprometendo outras pessoas (quimioprofilaxia).

 

O meio mais efetivo, todavia, de prevenir meningites e sepse causadas por meningococos e pneumococos são as vacinações administradas no contexto do calendário vacinal de cada pessoa, desde o nascimento, por toda a vida. Vacinações são indicadas pela ANVISA, organizações internacionais e sociedades médico-científicas nacionais, como a Associação Brasileira de Pediatria, Associação Brasileira de Imunizações entre várias outras.

 

Para benefício de outrem e pessoal, vacinações para meningites (e para outras infecções e enfermidades) devem ser recebidas por pessoas de todas as idades, imediatamente – não deixar para a ocasião de uma tragédia – , conforme indicadas no Quadro.

 

Quadro – Vacinações para prevenir o estado de portador assintomático, infecções e doenças invasivas (meningites, sepse) causadas por bactérias meningococos e pneumococos, indicadas para crianças, adolescentes e adultos.
·   Vacinação meningocócica B

·   Vacinações meningocócicas ACYW135 combinadas

·   Vacinações pneumocócicas conjugadas de 13 valências

Quatro, três, duas, ou uma dose, conforme a idade. Crianças menores precisam de maior número. Algumas vacinações devem ser repetidas em determinadas idades e intervalos.
(1) Algumas vacinações são disponibilizadas rotineiramente pelo SUS em postos públicos de vacinação e todas elas em clínica privada especializada como a CLIMEP. (2) Vacinações polissacarídicas de 23 valências estão indicadas para apenas idosos e pacientes que sofrem de determinadas enfermidades crônicas

 

Newton Bellesi, médico infectologista e imunoalergologista, CRM-PA 765, RQE 2483 e RQE 5110, nbellesi@climep.com.br.

Compartilhar
FacebookTwitterGoogle+EmailWhatsApp

Ligamos para Você








Atendimento por Whatsapp









Atendimento por Email









Consulte Preços








Assine nossa Newsletter




Receber Mais Informações