Aperte “Enter” para pesquisar

Artigos

Macaco Morre Com Suspeita De Febre Amarela Em Ananindeua

Atualizado em: 03/11/2017 às 19h56

Um macaco morreu com suspeita de febre amarela em Ananindeua, região metropolitana de Belém. De acordo com informações divulgadas nesta segunda-feira (27), o animal teria morrido na última sexta-feira (24). Uma equipe Epidemológica da Secretaria de Saúde foi ao local e colheu amostras de sangue para averiguar a causa da morte do mamífero.

 

O macaco era um filhote que foi pego por um morador. O Instituto Evandro Chagas analisa o sangue do animal e deve divulgar o resultado na próxima sexta-feira (3).

 

Região metropolitana em alerta

A confirmação da causa da morte do animal em Belém foi feita pelo Instituto Evandro Chagas. Desde o último sábado (25), equipes da Secretaria de Saúde fazem vacinação em moradores do bairro. A ação deve durar uma semana e faz parte do protocolo-padrão da Sespa frente ao risco levantado. Este ano, até o momento, não há pessoas internadas com sintomas da doença no Pará.

 

O Parque do Utinga seguirá fechado ao público por uma semana, até que se tenha um panorama maior da situação e as ocorrências estejam sobre controle. O acesso de pesquisadores, porém, foi mantido.

 

Equipes de vacinação e de borrifação atuam nas áreas próximas ao parque Utinga. Ao todo, cerca de 50 pessoas estão envolvidas nessa fase, buscando imunizar trabalhadores e moradores de áreas próximas, além de borrifar residências para eliminar focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como a dengue, zika, chikungunya e febre amarela em áreas urbanas. Nas zonas silvestres ou de mata, a transmissão da febre amarela ocorre pelos mosquitos Haemagogus ou Sabethes.

 

As vacinas não são recomendadas para grávidas, crianças com menos de seis meses, alérgicos a ovos e pessoas que vivem em áreas sem registro do vírus. Nos casos de pessoas com mais de 60 anos e pacientes com imunodeficiência, a administração da vacina deve ser condicionada à avaliação médica. Uma dose é válida por dez anos e bastam duas doses ao longo da vida para que não se tenha qualquer risco de contaminação com a doença.

 

No Pará, nos últimos dez anos, foram notificados oito casos de febre amarela. Somente no ano passado, 71.195 pessoas foram vacinadas no Pará contra a doença. Em 2015, foram imunizadas 80.230 pessoas.

Compartilhar
FacebookTwitterGoogle+EmailWhatsApp

Ligamos para Você








Atendimento por Whatsapp

[contact-form-7 404 "Not Found"]

Atendimento por Email









Consulte Preços








Assine nossa Newsletter




Receber Mais Informações