Aperte “Enter” para pesquisar

Artigos

Gripe Pode Virar Pneumonia, Doença Grave E Que Pode Levar Ao Óbito

Atualizado em: 03/11/2017 às 00h04

Pior que enfrentar o frio ou a chuva é enfrentar essa temporada com um resfriado, uma gripe ou uma pneumonia, doença que se não for bem cuidada, pode levar ao óbito.

 

Para tratar logo é preciso ficar atento aos primeiros sinais. O catarro e a tosse intensa, além do desconforto respiratório, da secreção e da dor para respirar são sintomas e a partir disso, deve-se procurar um médico.

 

Doutor Clystenes explica que a pneumonia pode ser bacteriana ou viral. A viral pode ser contraída através do ar, pois quando a pessoa tem contato com outra que está com pneumonia e essa tosse, espirra, os vírus podem ser aspirados pela outra e ao penetrarem no pulmão, desencadeiam a doença.

 

O outro tipo de pneumonia é a bacteriana, onde as bactérias já estão na garganta e a pessoa ao aspirar tem um processo inflamatório e a partir daí, a pneumonia.

 

 

Vacinação contra a doença

A vacinação pneumocócica visa estimular o organismo a desenvolver defesas contra os principais pneumococos (Streptococcus pneumoniae) causadores de doenças no homem. Os pneumococos constituem-se o principal agente de pneumonias e otites, e um dos mais importantes causadores de meningites, sinusites e septicemias, além de muitas outras doenças e suas complicações.

 

Duas vacinas estão licenciadas no Brasil: a pneumocócica conjugada de 13 valências (Pn13) e a pneumocócica polissacarídica de 23 valências (Pn23). A primeira é mais efetiva, pois elicia imunidade de memória, já a segunda não, mas é uma boa vacina para reforço. A vacinação de pessoas sadias é efetivada com a Pn13 para reduzir o risco de doença pneumocócica e o frequente estado de portador assintomático (indivíduo infectado, mas não enfermo, que transmite os pneumococos para outras pessoas). O reforço com a vacina Pn13 é recomendada para pessoas enfermas e idosos.

 

Alguns vacinados podem apresentar febre e dor/inflamação no local da injeção, que podem ser atenuadas com uma dose de antitérmico/analgésico (exemplo: Dôrico – criança: 1gt/kg; adulto: 1 comprimido, até quatro vezes ao dia) e compressas geladas sobre local dolorido. Para outras eventuais manifestações associadas temporalmente à vacinação, o médico assistente, ou o médico da CLIMEP deve ser procurado para os devidos esclarecimentos.

 

Fonte: Bem Estar

Compartilhar
FacebookTwitterGoogle+EmailWhatsApp

Ligamos para Você








Atendimento por Whatsapp









Atendimento por Email









Consulte Preços








Assine nossa Newsletter




Receber Mais Informações