Aperte “Enter” para pesquisar

Artigos

DEIXAR DE VACINAR PODE REDUZIR A POPULAÇÃO HUMANA

Atualizado em: 11/07/2018 às 14h44

No século XX cerca de um bilhão de pessoas morreu em consequência de doenças que atualmente são preveníveis através de vacinações. As vacinações são, provavelmente, a principal contribuição para o crescimento acelerado da população nesses últimos 50 anos. Com as facilidades de deslocamento atuais, com o adensamento das populações, infecções podem ser disseminadas mais rapidamente que no passado. Sem vacinações perdas fantásticas podem inviabilizar a civilização nos níveis atualmente existentes.

 

09jul18, NBellesi, CLIMEP – Desde o início da história nunca a população humana cresceu tanto, estimando-se que em 2.100 atingirá mais de 11 bilhões. Foram necessários 200.000 (duzentos mil) anos para chegar ao primeiro bilhão e apenas mais 200 (duzentos) para chegar a 7 bilhões. Atualmente a taxa de crescimento da população humana é de um bilhão a cada 10 a 15 anos.

 

A expansão do crescimento populacional humano, desde a Revolução Agrícola, foi determinada pelo controle da morbidade e mortalidade causadas por enfermidades infectocontagiosas, algumas pandemias registrando milhões de óbitos.

 

Grandes pandemias, como as de varíola, sarampo e influenza (gripe), somente nos primeiros 80 anos do século XX abateram 700 milhões de seres humanos. As principais doenças que mais mataram até a primeira metade do século passado eram todas causadas por agentes infecciosos imunopreveníveis (preveníveis por vacinação).

 

De acordo com O Centers of Disease Control and Prevention (CDC) dos EUA, publicado no MMWR, entre as dez maiores contribuições para o aumento da expectativa de vida no século XX as vacinações aparecem em primeiro lugar.

 

Os agentes da difteria, tétano, coqueluche, hemófilos, hepatites virais A e B, sarampo, caxumba, rubéola, poliomielite, varíola entre outros, causadores de centenas de diferentes doenças, foram erradicadas ou reduzidas em pelo menos 90%, nas Américas, através de vacinações.

 

Conforme tem sido amplamente noticiado, a população brasileira está sendo menos vacinada e com isto, doenças preveníveis por vacinações, como sarampo, considerado erradicado desde 2016, voltou a ocorrer em vários estados brasileiros, do Sul ao Norte, com milhares de casos, incluindo óbitos, e com diferença importante em relação ao que ocorria no passado: tem atingido especialmente a população adulta, na qual a infecção pode ser mais grave.

 

Para entender como a vacinação pode ser tão importante e trazer tantos benefícios observe o seguinte: um indivíduo infectado pode transmitir o agente de infecção (vírus, bactéria) para 10 a 20 outras pessoas, que o continuarão disseminando até que a maioria das pessoas tenha sido infectado. Cerca de 90% das pessoas vacinadas ficam imunizadas, protegidas e desta forma não hospedam agentes de infecção correspondente e portanto não tem o que transmitir, disseminar. Portanto, cada pessoa imunizada deixa de transmitir o agente de doença para 10 a 20 pessoas.

 

Sofrimento, incapacidades e óbitos podem ser prevenidos de forma simples através de vacinações seguras e efetivas. Não vale à pena, não é ético, correr riscos pessoais desnecessários e, mais ainda, colocar em risco o bem-estar, a saúde e a vida de familiares, amigos, colegas e da sociedade em geral, por não estar vacinado. Sim, não vacinando a população humana voltará à idade das trevas, quando milhões e talvez bilhões de pessoas tenham suas vidas ceifadas, desestabilizando a vida e a civilização na Terra.

 

Newton Bellesi, médico infectologista e imunoalergologista, CRM-PA 765, RQE 2483 e RQE 5110, nbellesi@climep.com.br.

Compartilhar
FacebookTwitterGoogle+EmailWhatsApp

Ligamos para Você








Atendimento por Whatsapp









Atendimento por Email









Consulte Preços








Assine nossa Newsletter




Receber Mais Informações