Aperte “Enter” para pesquisar

Artigos

BRONQUIOLITE – Causa Mais Frequente De Hospitalização No 1º Ano De Vida

Atualizado em: 02/11/2017 às 12h13

A bronquiolite é uma doença respiratória aguda, que provoca chiado no peito em crianças menores de 2 anos de idade. Os principais causadores da bronquiolite são os vírus respiratórios, que atacam principalmente nos meses de outono e inverno mais ao Sul do Brasil e na estação das chuvas, mais ao Norte.

Junto com o chiado no peito, podem vir a tosse e a dificuldade para respirar. Em muitos casos, os bebês melhoram espontaneamente entre 5 ou 7 dias. Porém, em casos mais graves, quando a dificuldade respiratória é muito intensa, pode ser necessária internação hospitalar. São mais sensíveis ao quadro mais grave da doença os bebês prematuros, com baixo peso, com doença cardíaca congênita ou algumas outras doenças crônicas como síndrome de Down e doença pulmonar da prematuridade.

Como se dá a contaminação

A bronquiolite é a causa mais frequente de internação hospitalar no primeiro ano de vida. Os vírus respiratórios são transmitidos por contato direto com secreções respiratórias, ou mesmo pelo contato com as mãos de pessoas contaminadas ou objetos. Muitos vírus respiratórios têm a facilidade de viajar pelo ar a partir de saliva e de espirros. Ou seja, onde circula uma pessoa doente, espirrando e tossindo, muitos locais podem estar contaminados, como, por exemplo, maçanetas, mesas, teclados, etc.

Dependendo do tipo de vírus, a bronquiolite pode vir junto com faringites, amigdalites, conjuntivite viral, ou laringite aguda.

Em casos especiais, é possível promover imunização passiva (proteção) preventiva, indicada especialmente em bebês que nasceram com menos de 28 semanas de gestação. Este medicamento, opalivizumabe, está disponível em alguns estabelecimentos públicos e na Climep.

É importante lembrar que os bebês que apresentam várias crises de chiado no peito e as crianças maiores de 2 anos não devem ser tratados como bronquiolite, pois a chance de apresentarem outros problemas como asma e refluxo gastresofágico aumenta. Se seu filho tem este quadro, procure o pediatra para avaliação especializada.

Alguns cuidados para reduzir o risco de bronquiolite:

  • Evite ambientes fechados e aglomerações;
    • Evite creches e escolinhas para bebês menores de um ano;
    • Lave as mãos com frequência;
    • Sempre lave as mãos ao chegar em casa;
    • Sempre lave as mãos antes de ter contato com bebês pequenos ou prematuros;
    • Evite contato de pessoas resfriadas ou gripadas com bebês menores de 2 anos;
    •Mantenha atualizadas as vacinações de todo o grupo familiar –especialmente as de gripe influenza (anualmente) e pneumocócicas (13 conjugadas) – para reduzir a circulação de agentes de doenças no ambiente doméstico;
    • Se seu bebê é prematuro e nasceu com menos de 28 semanas de gestação, informe-se sobre a imunização (prevenção) da infecção pelo vírus respiratório sincicial com palivizumabe.

 

Fonte: Adaptado do Departamento Científico de Pneumologia da SBP

Compartilhar
FacebookTwitterGoogle+EmailWhatsApp

Ligamos para Você








Atendimento por Whatsapp









Atendimento por Email









Consulte Preços








Assine nossa Newsletter




Receber Mais Informações