Aperte “Enter” para pesquisar

Artigos

Amamentação reduz o risco de obesidade na vida adulta

Atualizado em: 16/03/2018 às 18h49

Com certeza, você já ouviu falar sobre os inúmeros benefícios da amamentação para a saúde do bebê, não é mesmo? Porém, uma informação não tão divulgada, mas que merece destaque em um País onde uma em cada três crianças com idade entre 5 e 9 anos está acima do peso, é que a amamentação reduz o risco de obesidade na vida adulta.

 

Para se ter uma ideia, um estudo científico realizado por pediatras da Universidade de São Paulo (USP) mostrou que 80% das crianças com obesidade deixaram de ser amamentadas antes dos seis meses. Ou seja, dá para imaginar a diferença que esse simples ato pode fazer no futuro.

 

Como a amamentação reduz o risco de obesidade?

 

A redução do sobrepeso na vida adulta é relacionada a diferentes fatores, e entre os principais estão a alteração do metabolismo proporcionada pela amamentação.

 

Além disso, como o leite materno varia de gosto conforme o que a mãe come, a criança fica mais adaptada aos mais diferentes sabores. Isso facilita que aceite uma maior variedade alimentar e seja menos seletivo, o que contribui para uma alimentação mais saudável por toda a vida.

 

Veja outras 2 possíveis causas:

 

1. Leptina

 

Um dos possíveis fatores que fazem com que a amamentação reduza o risco de obesidade é que o leite materno contém um hormônio chamado leptina, o qual atua na inibição do apetite e no processamentos dos nutrientes pelo organismo.

 

Assim, a criança amamentada desde o nascimento será um adulto com mais facilidade de sentir-se saciada no futuro.

 

2. Alimentação na dose certa

 

Quando um bebê é amamentado no seio, ele para imediatamente após sentir-se satisfeito. Já a criança que muito cedo é introduzida a alimentos sólidos acaba por se alimentar acima necessidade, em função de os adultos acabarem insistindo que tome a mamadeira até o final ou que termine o prato até o final. Situações como essa, por exemplo, podem contribuir para o sobrepeso.

 

Como as mães podem ajudar?

 

Apesar de a amamentação ser um processo natural, que envolve doação e amor, algumas mães podem sentir dificuldades nos primeiros dias e acabam desistindo, ou acham que somente o leite materno não é suficiente e, assim, começam uma complementação desnecessária com fórmulas.

 

Tudo isso acaba interferindo no processo e a criança acaba não contando com os inúmeros benefícios que a amamentação traz, entre eles a diminuição do risco de obesidade.

 

E como as mães podem contribuir para que isso não aconteça e o bebê seja alimentado exclusivamente com leite materno até os seis meses? Buscando informações e conhecimento, os quais irão ser muito úteis em momentos difíceis.

 

Para isso, é possível participar do curso para gestantes oferecido pela CLIMEP semanalmente e de forma gratuita há mais de 20 anos. Lá, as mamães aprendem tudo sobre amamentação e todos os outros cuidados que envolvem o bebê.

 

Gostou do nosso artigo sobre como a amamentação reduz o risco de obesidade na vida adulta? Acha que o assunto e o nosso curso podem ser interessantes para alguns dos seus contatos? Então compartilhe em suas redes sociais agora mesmo!

Compartilhar
FacebookTwitterGoogle+EmailWhatsApp

Ligamos para Você








Atendimento por Whatsapp









Atendimento por Email









Consulte Preços








Assine nossa Newsletter




Receber Mais Informações